EJART promove conhecimentos e diversidade cultural

Esta foi a primeira edição da Exposição Artística e Cultura da EJA de Correntina e o resultado surpreendeu o público

A Secretaria Municipal de Educação realizou, na última quinta-feira (14), a primeira Exposição de Arte da Educação de Jovens e Adultos. O evento, nomeado como EJART, valorizou a diversidade cultural das regiões que os alunos fazem parte. No decorrer da exposição, teve apresentações de musicais, dança, teatro, cordel, poesia, reisado, cantiga de roda e artesanato.

A agricultura familiar também teve destaque durante o EJART, os alunos convidados do Curso Técnico em Agropecuária e Agroecologia exibiram maquetes de casas e sistema de pastagem mais sustentáveis e econômicos.  A aluna do 4º, Eloisa de Jesus Gusmão, apresentou um modelo de casa com teto verde. “Ele serve para refrigerar a casa de maneira natural, e é possível plantar hortaliças nele também”, explicou a estudante.

O prefeito Nilson José Rodrigues (Maguila) esteve presente na Exposição e falou da importância de dar uma oportunidade para quem está recomeçando a vida escolar. “Todos devem ter a possibilidade de recomeçar. Nós temos a obrigação de proporcionar essa chance de continuar na escola. Para que esses estudantes tenham uma melhoria de vida e que possam mais independentes”, afirmou.

Os coordenadores da Educação de Jovens e Adultos, Erivelto de Jesus Rego e Zélia Nascimento de Almeida contam que o projeto da exposição começou a ser planejado em agosto. “Tem sido um desafio desde sempre e agora não é diferente, muitos não conseguem ver a Educação de Jovens e Adultos como um modelo da educação básica assim como as demais”, comentou Erivelto de Jesus.

Zélia explica que as aulas são planejadas da mesma forma que a educação regular, seguindo a matriz curricular da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), mas traz elementos do cotidiano desses estudantes.

“A questão cultural é levada em conta na hora de montar a grade deles. Procuramos contextualizar o conhecimento que eles já tem, pegamos esse senso comum e transformamos em conhecimento cientifico. Essa exposição é a culminância desses aprendizados passados em sala de aula”,explicou a coordenadora.

A estudante Zilda Maria Rodrigues da Silva (58), do Colégio São Rafael, que está cursando a 5º e 6º série do ensino fundamental, falou sobre como é voltar para sala de aula depois de muito tempo. “É bom, mas é difícil, porque vem o cansaço do dia e a preocupação. A cabeça fica muito ligada na família, nos meus filhos que moram fora”, mas complementou dizendo que incentiva outras pessoas a voltar para escola e concluir os estudos. “Eu sempre falo para quem não está estudando, para voltar a estudar porque é muito gratificante”, contou a produtora rural.

Participaram do EJART a Escola Municipal São Manoel, Escola Municipal Santo Antônio, Escola Municipal São Rafael – Silvânia, Escola Municipal Divino Espírito Santo – Praia, Escola Municipal Edivaldo Machado Boaventura, Escola Municipal Santa Helena – Caruaru, Escola Anísia Silva Moreira.

Texto e fotos: Ascom da Prefeitura de Correntina – BA
E-mail: ascom@correntina.ba.gov.br